Yomitai – Estação Multimídia

Notícias

08.09.19

Exposição sobre tecidos artesanais japoneses está em cartaz na Japan House São Paulo

Está em cartaz até o dia 27 de outubro de 2019, na Japan House São Paulo, a exposição NUNO – Poéticas têxteis contemporâneas com destaque para as peças de tecidos artesanais japoneses, criadas pela designer Reiko Sudo, atual representante da marca NUNO, criada em 1984, no Japão.

Na abertura da exposição ao público, Reiko Sudo palestrou sobre a origem dos tecidos expostos na Japan House, além de apresentar a história de NUNO (tecido em japonês), que desenvolve linhas estéticas, materiais e técnicas, que reinterpretam as tradições da área têxtil japonesa ao mundo contemporâneo.

– Começamos a loja em 1984 e três anos após a criação da empresa, o então proprietário (Owara-san) a deixou. Foi então que passei a tocar a NUNO. Fazíamos o planejamento, o design e todas as atividades relacionadas à criação de tecido – contou Sudo.

Segundo a designer, a loja NUNO, que é considerada um dos melhores laboratórios para pesquisa têxtil da atualidade, possui cerca de 400 tipos diferentes de tecidos artesanais japoneses, fabricados por artesãos que têm total envolvimento na produção têxtil da empresa. A área de pesquisa da marca é realizada em Gunma, na ilha Honshu, onde também são produzidos os tecidos.

A exposição em São Paulo, que tem curadoria de Adélia Borges, crítica e historiadora de design, e Mayumi Ito, consultora e fundadora do projeto comunitário Amaria, reúne 35 tipos de tecidos oriundos de diversas regiões do Japão, desde a região norte até o sul do país, e que conta com a diversidade das técnicas artesanais, semi-industriais e industriais.

– Os tecidos tem todo um contexto histórico sobre o Japão. É preciso ter confiança extrema nos produtores de fora, o que significa aprender e observar, ao máximo, a cultura e a história têxtil do Japão. Só a partir do tradicional que podemos criar coisas novas – explicou Reiko Suda.

Outro grande atrativo que compõe a mostra, são os koinoboris, ou seja, as carpas feitas de tecidos, que simbolizam a saúde e a longevidade. Serão cinco koinoboris de 2 metros expostas na entrada da casa de cultura para desejar boas-vindas aos visitantes.

Confira algumas imagens da exposição NUNO – Poéticas têxteis contemporâneas:

  • Reiko Sudo, designer da NUNO, palestra na Japan House São Paulo (Foto: Yomitai | Estação Multimídia)
  • Tecido com fibras de bananeiras de bashô, nativas de Okinawa e das ilhas Amami (Foto: Yomitai | Estação Multimídia)
  • Koinoboris expostos na entrada da Japan House São Paulo (Foto: Yomitai | Estação Multimídia)
  • Cinco koinoboris de 2 metros estão expostos na entrada da Japan House São Paulo (Foto: Yomitai | Estação Multimídia)
  • Koinoboris são carpas que simbolizam a saúde e a longevidade (Foto: Yomitai | Estação Multimídia)
  • Peças de tecidos da mostra NUNO – Poéticas têxteis contemporâneas (Foto: Yomitai | Estação Multimídia)
  • Peças de tecidos da mostra NUNO – Poéticas têxteis contemporâneas (Foto: Yomitai | Estação Multimídia)
  • Peças manuseáveis da exposição NUNO - Poéticas têxteis contemporâneas (Foto: Yomitai | Estação Multimídia)
  • Peças manuseáveis da exposição NUNO - Poéticas têxteis contemporâneas (Foto: Yomitai | Estação Multimídia)
  • Peças de tecidos da mostra NUNO – Poéticas têxteis contemporâneas (Foto: Yomitai | Estação Multimídia)

Comentários